Organização ou mania de controle?

Sim, eu excluía meus amigos do Facebook somente para cumprir uma meta pessoal de passar o ano inteiro com no máximo 100 amigos. Mas, por favor, não leve para o lado pessoal, nunca deixei de segui-los. Muitas vezes recebi mensagens de pessoas queridas magoadas por terem sido excluídas ou re-adicionadas, rs, e com isso percebi 1) como as pessoas levam suas redes sociais a sério; e 2) como eu estava meio neurótica com a 'organização' das minhas redes sociais. Só para constar, não fiz isso só com os amigos do Facebook, mas também com páginas, grupos do Facebook e do Whatsapp, Instagram, canais do Youtube, Pinterest, Tumblr, Linkedin, enfim... quem me conhece sabe que estou em todo lugar.

Depois de mais de 4 anos trabalhando com redes sociais, acho que ainda estou num processo de desintoxicação/purificação. Cheguei a acumular mais de 10 páginas, grupos e canais no youtube, um para cada projeto, sempre tentando separar o pessoal do profissional sendo que, inevitavelmente, ambos se fundiram. Como artista e profissional autônoma, minha vida pessoal e profissional são agora uma só. A princípio fazia sentido eu manter tudo separado, mas agora não tenho mais essa necessidade... e aí, fundir os perfis ou deletar tudo e começar de novo? E se eu começar a trabalhar em outra área, o que fazer? Dramas da vida moderna.



Aconteceram muitas coisas boas neste ano de 2017, mas o segundo semestre foi meio caótico - notá-se pelas minhas postagens anteriores. Espero conseguir abandonar maus hábitos e me redirecionar bem para o ano de 2018. Sinto que não tenho um plano de vida e carreira bem estruturado e estou tentando ficar tudo bem com isso. Tentando não surtar. Deixar as coisas fluírem um pouco, sem o impulso de querer controlar tudo. Maaaas, como eu senti muito a falta de ter um diário/agenda/caderno de lugar-comum neste ano, tendo que recorrer a bloquinhos de anotação avulsos, me permiti comprar um planner. A ideia era começar um bullet journal, mas não resisti ao kit de organização do Negócio de Mulher (calma que eu vou fazer um post só sobre ele ❤).

Retrospectiva 2017

  1. Colei grau e entreguei meu trabalho de conclusão de curso, "Mulheres que Dançam", sobre Jornalismo cultural especializado em dança tribal, pelo qual recebi nota 9. Só não posso dizer que concluí a faculdade porque ainda falta eliminar umas disciplinas pendentes. Também participei de oficinas de elaboração de projetos, assisti palestras sobre cinema, dentre outros.
  2. Produzi ou participei da produção de pelo menos 5 eventos diferentes ligados à dança, dentre eles, os haflas tribais no Mausoléu Pub (Jundiaí/SP) e na Boutique Vintage (São Paulo/SP), incluindo a noite temática com dança burlesca e estreia da banda Pequeno Cabaré Boêmio Itinerante; o 1º encontro de dança tribal de Bragança Paulista e a edição inaugural da Tribus Fair.
  3. Também me envolvi na produção e edição de vídeos criativos, desde matérias, reportagens e entrevistas para o blog até videoclipes, cobertura de eventos, mixagem de fotos e canal no youtube - editei muitos áudios, depoimentos, músicas; mas o destaque fica para a terceira edição do projeto vídeo & dança com o videoclipe "Bellydance Vaudeville" ❤
  4. Gerenciei dois projetos de intervenção em festivais de cultura alternativa neste ano: o primeiro no Mundo de Oz, com o grupo Avall'om de São Thomé das Letras; o segundo foi uma experiência linda de oficinas e apresentações que seguiram por 4 horas consecutivas no Gaia Connection, o qual chamamos de Movimento TranscenDance.
  5. Mantive as participações habituais em mostras de dança locais, como o Festival de Dança do Ventre de Várzea Paulista, o Festival de Cultura e Arte de Várzea Paulista e o Festival de Ginástica, Dança e Circo de Itupeva. Também participei do flashmob do Portal do Egito através do projeto Conexão Cultural da prefeitura de Jundiaí.
  6. Aliás, fiquei muito feliz por entrar no time de professores do Portal do Egito. Isso significa ministrar aulas regulares, particulares e em workshops, coreografar e participar de performances em grupo. Também estou atuando com assessoria de mídias sociais, no desenvolvimento de projetos e co-produção de eventos, como o workshop com a Joline Andrade, que foi uma delícia.
  7. Estou de apartamento novo! Eu devia ter escrito um post sobre isso, mas faltou inspiração. Meu novo lar é maior, tem piso de madeira e uma ótima localização. Apesar de não ser a casa que eu queria, demos muita sorte de encontrarmos algo assim. Desapeguei de muitas coisas, incluindo roupas, calçados, móveis e coisas de cozinha, mas tudo para dar lugar às novas coisinhas para a casa nova que não vejo a hora de comprar.

Expectativa 2018

Apesar de ter comprado um planner, prometi tornar as coisas mais flexíveis para o próximo ano, isso significa me envolver mais socialmente também. Tem algumas viagens que eu e meu namorido gostaríamos de ter feito neste ano que ficou para 2018, além de alguns eventos de dança que não pude participar neste ano. Quero focar nessas coisinhas e retomar projetos pessoais interrompidos antes de encucar com a criação de projetos novos!

  • Eliminar disciplinas pendentes da faculdade;
  • Extrair meus dentes do siso e colocar aparelho;
  • Ir no Underwold Fusion Fest;
  • Ir no Congresso Tribal Sul-Americano;
  • Conhecer a Argentina;
  • Conhecer São Thomé das Letras;
  • Adotar um cachorrinho ❤
Vem 2018!

Comentários

+ Lidas