Pelas ruas de Buenos Aires

Nos últimos 5 dias, entre quinta e terça-feira, estive em Buenos Aires com meu namorido. Há tempos eu tinha vontade de conhecer o país e fazer uma viagem a dois estava nos nossos planos desde que ele foi para lá em 2015, a estudo. Só agora, 3 anos depois, realizamos o desejo, e só foi possível porque conseguimos a hospedagem ideal. A ideia era ficar uma semana inteira, mas por conta do orçamento e pela minha agenda de compromissos, acabamos marcando uma viagem de 5 dias. No final das contas, não imaginávamos que as coisas estariam meio complicadas por aqui, com serviços suspensos e eventos adiados. Insisti para que cancelássemos a volta, mas meu namorido é mais sensato que eu nesses termos. Por fim, apesar do ressentimento em voltar antes do desejado, aquele sentimento de que faltou muuita coisa para ver e viver, não existe prazer maior que pisar os pés em seu lar, sentir aquele cheirinho familiar... não tem coisa melhor que a nossa casa, não?

No avião, saindo de Guarulhos-SP. Tanto tempo sem voar, senti logo um frio na barriga!
Voltando de viagem, um tanto cansados, mas felizes pela experiência <3
Mas, não é a primeira vez, sempre manifesto minha vontade de sair do estado de São Paulo, ir para Minas ou para o sul do país, e a ideia de viver um período na Argentina me pareceu muito atraente, e o melhor: possível;  só precisamos nos planejar economicamente. Confesso que estava um tanto receosa de ir para um lugar estranho pela primeira vez, aquele misto de ansiedade e temor, mas no final das contas, foi uma experiência sem igual, nos sentimos tão bem acolhidos em tantos sentidos! Mesmo não falando bem o idioma e sendo claramente turistas aventureiros, nos permitimos viver um pouquinho como um local, ir ao mercadinho do bairro, passar uma tarde num parque, parar numa cafeteria, andar de metrô e fazer compras nas feirinhas. Só senti falta da minha gatinha. Vimos tantas pessoas andando acompanhada de seus pets que me doía o coração não ter um peludinho comigo, rs

Selfie no elevador :P
Pela manhã



No saguão do prédio
Andando de metrô!


Ficamos hospedados num charmoso apartamento particular localizado no tradicional bairro de Palermo, com decoração original da década de 70-80, com dois quartos, sala e cozinha. O apartamento possuía água filtrada, aquecimento interno, janelas peculiares, um lindo piano e uma banheira tentadora. Também tinha wi-fi, televisão, micro-ondas, fogão e cafeteira, então pudemos fazer nossas próprias refeições - quando resistíamos a ideia de comer na rua. O quarto de solteiro foi alugado para uma conhecida minha, a Ana Lua, tatuadora e dançarina residente em Santos-SP. Meu namorido já havia ficado em apartamentos e casas particulares antes, quando ia à praia com sua família, mas para mim foi a primeira vez - com exceção de quando ainda era bebê. Senti um zelo pela mobília, enxoval e artigos de decoração, tudo com uma forte identidade.

Nossa colega de apto ^^

Corredor com um toque feminino <3

Eu adorei as opções de iluminação dos ambientes!

Quando a luz invade a foto e rouba a cena

Móvel um tanto prático entre os dois quartos

Quarto principal

Sala de estar super aconhegante
Chegamos na quinta-feira após às 15h, conhecemos os arredores e fomos ao mercado. A noite, dividimos uma pizza, com uma massa grossa e fofa. Do primeiro dia, só lamento não termos nos informado melhor sobre o táxi, pois foi um baita prejuízo. E só mais tarde decidimos economizar dinheiro e usar o cartão de crédito nas lojas e restaurantes, o que prejudicou um pouco nosso orçamento.

Na sexta-feira, dia 25, era feriado na cidade, então estava tudo parcialmente fechado. Aproveitamos para andar nas ruas e fomos até a feira de artesanatos de Palermo, local com uma grande riqueza de boutiques e muitas opções gastronômicas. Havia tantos parques e praças que era impossível não parar em um enquanto caminhávamos, por isso acabamos visitando menos lugares do que gostaríamos, nos prolongamos muito nesses parques, mas agora, sinceramente, não me arrependo. Eu adoraria ter mais pracinhas e parques acessíveis aonde vivo! E é um dos motivos de adorar a cidade de Extrema, em Minas Gerais.








Sinto termos demorado a nos convencer a sair a noite, também por não termos planejado muitos passeios noturnos que não envolvessem gastos fora do orçamento, como shows, restaurantes e shopping, dentre outros. Todavia, a cidade dorme tarde, e nossa localização era bem segura, entre duas avenidas, Corrientes e Córdoba, podíamos ter andado à vontade após às 21h sem problemas.

No sábado, fomos conhecer o Jardim Botânico. Eu gostaria de ter conhecido o Jardim Japonês também e ter emendado o passeio para a Recoleta, mas paramos em um parque e uma praça com uma feira gastronômica a caminho do Jardim e depois ficamos com fome e havíamos nos distanciado um tanto, não encontramos bons restaurantes a valores acessíveis e que aceitasse nosso cartão, então acabamos voltando para o apartamento. Sou um tanto relutante em comer em fast foods, mas por fim almoçamos numa hamburgueria, Dean & Dennys, até que não foi tão ruim.












Havia um show de dança tribal que eu adoraria ter assistido. Insisti para que a viagem coincidisse com a data do evento, mas no final das contas, não participei nem pude prestigiar. A entrada estava além do nosso orçamento, não havia a possibilidade de eu dançar na mostra e minha ideia de produzir material para meu extinto blog também foi por água abaixo, já que não há mais blog. De qualquer forma, não fui autorizada a fazer imagens do evento. Mesmo assim, com tantos empecilhos, fomos assistir a mostra no sábado a noite, que contou com uma grande participação de brasileiros.

A mostra de dança aconteceu no espaço cultural Abasto


Luisana, organizadora do evento
No domingo, visitamos a feira de antiguidades de San Telmo, com arte de rua rolando o dia todo. É um atrativo turístico super recomendado, e eu indico. Os valores não estavam abusivos, havia ótimos restaurantes ao redor e algumas barraquinhas aceitavam dólar e real. Nos permitimos almoçar num restaurante italiano, e me senti tão bem, fazia tanto tempo que não íamos em um!

Neste dia, também era para termos conhecido o Caminito, mas pela pernada do dia anterior eu estava um tanto cansada. Arrependida? :S


Meu moreno <3

Igreja de San Telmo


Grupo Cien Pajáros de música folk <3 <3 <3
Segunda fizemos uma tentativa desastrosa de ir à Florida. O lugar estava tão tumultado, com pessoas nos abordando o tempo todo, me senti na capital de São Paulo e não foi legal. Ficamos pouco, mas conhecemos algumas livrarias locais, dentre elas, uma loja de quadrinhos.




Iríamos tomar o avião às 15h30 na terça-feira e precisávamos deixar o apartamento antes das 13h, então sabia que não conseguiríamos fazer muita coisa na parte da manhã, até pela minha preocupação em nos atrasar. Curiosamente, amanhecia tarde por lá, 7 horas da manhã e o céu ainda estava escuro, isso nos fazia querer ficar na cama mais tempo que de costume.

Então, como segunda-feira era o último dia, enfim fizemos uma caminhada noturna, de Palermo à Recoleta, para conhecer a famosa Floralis Genérica e jantar no Hard Rock Café. Aquele misto de sentimentos já havia tomado forma no meu peito, e admiro a paciência do meu namorido em lidar com minhas mudanças de humor. Já passamos tantas coisas juntas, que sempre nos recordamos de que, depois, vamos rir de todas nossas aventuras e desventuras.



Tentativa de selfie romântico e clichê hahaha


Uma publicação compartilhada por Melissa Souza (@bymelissasouza) em

Última vista antes de deixar o país

Comentários

+ Lidas