Núcleo de Artes e Cultura Anjos ao Resgate

Há cerca de dois meses, comecei a trabalhar num espaço cultural novo em Várzea Paulista chamado Núcleo de Artes e Cultura Anjos ao Resgate, sede das atividades que eram oferecidas pelo grupo Anjos ao Resgate em espaços públicos. Ao contrário do que muitos pensam, não somos uma organização comercial e não recebemos colaboração de qualquer órgão público. Fazemos parte de uma casa cultural independente, e quando digo isso me refiro a mim e a você, pois sem público – seja alunos, oficineiros ou simpatizantes – não há núcleo. Precisamos de vocês.


A proposta da organização de eventos é arrecadar fundos para mantermos a casa, da mesma forma, as oficinas oferecidas são custeadas para que possamos fazer as manutenções necessárias. Já recebemos muitos livros e DVDs como doação, computador, processador de alimentos, cadeiras, lousas, entre outros, mas ainda precisamos de muitas coisas.



Nossa biblioteca precisa de estantes, nossa sala de workshops precisa de uma mesa para trabalho e nosso espaço para estudos de corpo precisa de tapete, espelhos e ventiladores. Todavia, nossa maior necessidade é alcançar todos os públicos do município de Várzea Paulista e região: pessoas de diferentes faixas etárias, classes sociais e interesses.

O Núcleo não é uma fonte de renda, ainda nem conseguimos fazer com que ele se autossustente. Os principais contribuintes da casa desenvolvem outras atividades profissionais em paralelo. Eu, por exemplo, trabalho com dança, literatura e mídias sociais e auxilio na organização dos cursos e eventos da casa. O Carlos, principal responsável pela casa, trabalha com fotografia e estamparia. A Geralda, idealizadora do projeto, é diretora de escola.

Todos são bem vindos: seja para participar dos cursos oferecidos ou para desenvolver um novo projeto; para prestigiar um evento ou para organizar um; para auxiliar na manutenção da casa doando coisas, participando da organização dos eventos ou oferecendo seus serviços solidariamente.



Mas também queremos alcançar os que não tem acesso à atividades culturais, por isso, na medida do possível, oferecemos atividades gratuitas e disponibilizamos espaços comunitários. É o caso da biblioteca, da sala de vídeo e das parcerias que proporcionaram a realização de cursos e eventos, como a JAM Break Art, organizada pelo Daniel Ricardo; o Sarau Artístico e Cultural, um espaço para confraternização entre artistas e simpatizantes; o curso gratuito de percussão, ofertado por Alexandre Faria; o grupo de estudo de ética e cidadania, dirigido por Andréa Silva, entre outros. Com o consentimentos dos oficineiros, também oferecemos bolsa em 75% das vagas de alguns cursos. 

No momento, demos início a algumas oficinas e contamos com diferentes eventos, fixos ou independentes. Já formamos turmas para os cursos de Fotografia, Dança Tribal e Violão. Com frequência mensal, temos o Bazar do Desapego e o Sarau Artístico e Cultural. Toda sexta-feira, fazemos um Happy Hour com chopp artesanal, mesa de petiscos e, quando possível, música ao vivo. Entre os eventos independentes, realizamos o Hafla Tribal & Ventre, a Jam Break Art e a Oficina de Percussão Corporal. Estamos formulando outros eventos ligados a artesanato, dança e culinária, como a Noite de Massas e Vinhos, prevista para a chegada do inverno.

As portas ficam abertas para quem quiser visitar e conhecer o espaço. Além disso, também é possível entrar em contato conosco por e-mail, facebook ou telefone: (11) 4606-1468.

Comentários

+ Lidas