Follow Me @bymelissaart

sexta-feira, dezembro 28, 2018

Casório

Em novembro, enfim me casei. Eu e o meu agora marido planejávamos isso desde que fomos morar juntos. Vamos por parte: primeiro a oficialização e, futuramente, quem sabe, uma festa, um jantar com os familiares. Mas, com a família meio quebrada e a escassez de amigos, acho que esses eventos sociais levará mais tempo do que gostaríamos. Vamos privilegiar as viagens, nossa eterna lua de mel.

Esperávamos ao menos fazer uma cerimônia no cartório, mas para isso teríamos que agendar com antecedência de 3 meses, e não dispúnhamos deste tempo. Queríamos casar, e já. Então foi sem cerimônia mesmo. Ainda assim, comuniquei as pessoas mais próximas, convidei para um café quando convir. Tudo o que eu esperava era ouvir um "parabéns!" e sentir que ficaram felizes por nós. Mas, ao invés disso, muitos dos comentários que ouvi só serviram para eu me sentir cansada.
  • Mas vocês já não eram casados?
Muita gente pensou que quando fomos morar juntos havíamos nos casado. Outras consideram que morar junto já significado estar casado, mesmo sem oficializar a união estável. É verdade, por já estarmos numa união estável só foi preciso converter o estado civil para casado, mas, ainda assim, não é a mesma coisa para mim. Até então, eu morava com o meu namorado e ponto.
  • E a festa?
Fazer uma festa demanda um orçamento que - pagando aluguel, com dívidas pendentes e planos para o futuro próximo - não é possível para nós sem o auxílio dos amigos e familiares. Se alguém quiser me dar uma festa, eu aceito! Se não, conforme-se, rs. Até pensei de planejar um coquetel, festa de solteira ou alguma coisa do tipo, mas não consegui - novamente, não tive ajuda.
  • Cadê o anel?
Não uso aliança. E não se trata de um protesto nem nada do tipo, eu não gosto mesmo, acho dispensável.
  • E a lua de mel?
A gente adora viajar e fazemos isso sempre que possível. Com as condições atuais, viagens grandes somente 1 ou 2 vezes por isso. Se lua de mel é isso, então pronto, já tivemos e teremos sempre! xD
  • Você está grávida?
Também pensaram isso quando decidimos morar juntos, às pressas, para variar. Não tô grávida, nunca estive e não ficarei tão breve, para o descontentamento do meu pai, que só sabe me perguntar isso nas raras vezes que a gente se fala.
  • Por que você mudou seu sobrenome?
Alguns acham cafona, fora de época, essa coisa de pegar o sobrenome do marido. Eu concordo. Infelizmente não é mais possível trocar todo o sobrenome, somente 1. Eu queria me desvencilhar do sobrenome herdado do pai e o Souza que eu uso como pseudônimo vem do nome da minha mãe, olha só. Então só tornei meu nome real pegando o Souza do meu marido. Ele não quis pegar um sobrenome meu pelo mesmo motivo que eu estava pegando o dele: não queríamos vínculo com a família do meu pai. O que leva a próxima pergunta...
  • O que os seus acharam de vocês casarem desta forma?
Humm, nada? Nem tem que achar. Meu pai eliminou qualquer possibilidade de termos uma relação mais próxima. E meu marido não fala com a mãe dele há anos. Nossa família se resume então, da minha parte, à minha mãe e meu irmão; da parte dele, apesar dos parentes e etc, até o momento ninguém veio nos visitar nem nada. Então não faço questão que aparecessem numa cerimônia simbólica. Tenho mais consideração pelos seus colegas de trabalho, que estão com ele diariamente e sabem tudo pelo que passa.
  • Por que só agora?
Essa pergunta até que fez sentido para mim. Temos as nossas justificativas. Primeiro, estávamos passando por um momento delicado na família, com meus sogros se divorciando e o falecimento de uma tia do meu marido, então resolvemos esperar, por respeito. Segundo, pelo orçamento, combinamos de casar quando entrasse um dinheiro extra e, sim, levou três anos para isso. Terceiro, pelas necessidades burocráticas, principalmente com relação ao trabalho do meu marido - em caso de doença, falecimento e gravidez, agora estamos assegurados. Financeiramente, somos dependentes um do outro e podemos abater mais do imposto de renda, dentre outras coisas.

Li em algum lugar que o Brasil tem uma média de 3 casamentos por pessoa, então eu e meu marido sempre brincamos que este é só o primeiro e tem tudo para dar errado. Com isso em mente, quero festa de divórcio, e espero sinceramente que, no próximo casório, ouça apenas um "parabéns!".

"Casar" significa sair do cartório e levar os documentos no RH para ganhar 7 dias de folga. Eu nem precisava estar junto xD

Nenhum comentário:

Postar um comentário